• Bee Mel

Não plante neem e ajude a conservar as abelhas no Brasil

Pólen da planta é tóxico para os polinizadores e suas larvas, e fatal para as espécies sem ferrão nativas do país


Por Bee Mel



Entre os apicultores, uma planta causa polêmica: o neem (Azadirachta indica), trazido da Índia, mata as abelhas ou não? Há relatos de colegas com perdas de enxames em apiários onde a espécie exótica está por perto. Já a ciência confirma a relação com a mortalidade de enxames, mas pondera que a árvore parece estimular a postura da abelha rainha.


Você também vai gostar: Como é e como funciona uma colmeia por dentro

Segundo o agrônomo especialista em apicultura Ediney Magalhães, da Ceplac de Itabuna (BA), existe toxidade, sim. "Para as abelhas, devemos evitar [...]. Quando ela pega o pólen para alimentar as crias, há mortalidade (das larvas). Em relação às melíponas, tanto o néctar quanto o pólen matam as abelhas", explica em reportagem do programa Globo Rural (assista clicando aqui). Ele recomenda que os apicultores distanciem suas colmeias de locais onde haja neem em pelo menos 3 mil metros, que é a área de alcance desses insetos.



Já os pesquisadores cearenses José Everton Alves e Breno Magalhães Freitas concordam com Magalhães em partes. No estudo realizados em apiários de Sobral (CE) e Horizonte (CE), eles comprovaram que as larvas das abelhas morrem quando são alimentadas com pólen de neem. "A mortalidade das crias nos dois ambientes (Caatinga e Mata Litorânea) onde havia a presença de nim foi significativamente maior do que nos ambiente com ausência de A. indica. Esses dados indicam que A. indica foi a espécie responsável pela maior mortalidade das crias de operárias", segundo consta na pesquisa publicada neste link.


Espia só: Mapa inédito cataloga 20 mil espécies de abelhas pelo mundo

Além dessa confirmação, notaram algo positivo: o aumento da postura de ovos da abelha rainha. As colônias próximas ao plantio de neem apresentaram, em média, uma maior área de crias do que as colônias de locais com ausência da planta, indicando que o a espécie exótica colabora com o estímulo à postura da rainha.



A pesquisa finaliza dessa forma: "O nim, apesar da confirmação de suas propriedades inseticidas e de promover um incremento na mortalidade das crias nas colônias de A. mellifera, é considerada uma planta benéfica para a apicultura, pois promoveu um aumento na postura da rainha de tal forma que gerou um saldo positivo na quantidade de crias das colônias. Nas condições do Bioma Caatinga, o nim apresentou uma grande importância já que é uma das poucas espécies apícolas nos meses de setembro a novembro e que as demais espécies em florescimento são suficientes para gerar uma variedade de alimento suficiente para não causar grande mortalidade de crias. Apesar dessa conclusão, devemos ressaltar que há ainda a necessidade de mais pesquisas que investiguem vários outros questionamentos."



E você, o que acha? Nos juntamos a outros apicultores e a especialistas na campanha para que não plantem neem, especialmente em áreas com colônias apícolas. Salve as abelhas!



19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo